BBB18: Paula detona Kaysar após entregar imunidade para Ana Clara: “Não é bobo”

Poucas horas após Kaysar decidir entregar a imunidade para Ana Clara no Big Brother Brasil 18, Paula detonou o sírio na madrugada deste domingo, 15.

Durante conversa com Breno e Gleici na área externa da casa, a mineira fez diversos comentários críticos sobre a suposta inocência do brother — que fugiu da guerra civil na Síria.

“Uma pessoa que já passou por guerra, vive a vida dele sozinho, luta por tudo sozinho, sabe o que é certo, o que é errado…. Ele sabe enxergar maldade, sim, porque ele já viveu maldade. Ele não é criança. Achar que ele é inocente, que ele não vê maldade nas coisas, é uma bobeira nossa. Ele é um homem maduro, formado, que luta pelas coisas dele”, desabafou a empresária.

Paula defendeu seu ponto de vista e disse que o brother não era bobo. “O Kaysar não é criança. Acho que ele tem bom coração, mas não é bobo, não”, afirmou.

A mineira ainda relembrou a trajetória do sírio dentro do jogo e suas oscilações nos grupos. ” O Kaysar oscilou bastante. Ele começou sozinho, depois ficou amigo do Diego e da Patrícia. Trocou. Depois amigo do Caruso, depois da Jéssica. É o mesmo nível de oscilação da Jéssica. Cada hora está num canto”, explicou.

Paula alfineta Kaysar e Ana Clara após argumentos sobre imunidade no BBB18: “Aqui não é Caldeirão do Huck”

Paula, no entanto, não concordou muito com o argumento dos colegas para conquistarem a imunidade. E ainda sobrou para um programa da Globo, o Caldeirão do Huck: “Esse não é um jogo de quem tem mais necessidade, isso aqui não é Caldeirão do Huck. Aqui é outro estilo de jogo. Se fosse um jogo de quem precisa mais, eles pegavam todo mundo que não tinha nada e colocava para jogar”, argumentou.

A sister continuou: “E assim, às vezes você acha que merece mais e que tá bem no jogo, mas outra pessoa tem mais carisma do que você lá fora e é isso”.

Breno, com quem Paula estava conversando, concordou com a sua linha de raciocínio: “Aqui precisamos decidir as coisas unicamente pela razão. É isso. Por isso nem esquento com essas decisões”.