Contra bullying, professora corta cabelo igual ao de aluna excluída por colegas

A professora de jardim de infância Shannon Grim resolveu dar o exemplo e cortar o bullying pela raiz na Escola Elementar Meador, estado do Texas, EUA.

Ao perceber que uma aluna estava sendo excluída pela turma por ter cabelo curto, Shannon cortou suas longas madeixas para ficar igual à menina e dar uma lição nos colegas.

Priscilla Perez, de 5 anos, é a garotinha que estava sendo discriminada pelos colegas. Sem combinar nada com a menina, sua professora apareceu no dia seguinte e surpreendeu os alunos com o novo visual – ela estava igualzinha à Priscilla!

Leia também: Professora ajuda jovem da periferia de Belém a passar no vestibular e dá lição inspiradora

Após a surpresa, a professora usou esse exemplo para conversar e conscientizar as crianças. “Eu tive que mostrar a eles que os meninos têm cabelos longos como as meninas, assim como as meninas podem usar cabelos curtos como os meninos”.

Exemplo

Shannon, que é professora há apenas dois anos, espera que esse gesto seja utilizado como exemplo no futuro, e que os alunos se lembrem do que ela os ensinou.

“Na vida, você sempre terá alguém que não seja legal com você. Mas, é como o que você faz e como você reage ”, disse ela. “Quando eu crescer, terei amigos que serão maus para mim, mas serei gentil com eles, como você”, respondeu a menininha.

No dia que chegou à sala de cabelo cortado, Shannon levou para Priscilla um estilo laço de cabelo para elas usarem na cabeça.“Aquele laço representa a força, a família, alguém (quem) está de costas para ela”, disse ela, acrescentando que Priscilla costuma lembrá-la quando é hora de colocar os acessórios.

O acontecimento acabou aproximando as duas como nunca antes. “Vou continuar usando o laço”, disse a professora. “Eu estou aqui para ela.”

Decisão difícil

A decisão de cortar suas longas madeixas não foi nada fácil para Shannon, que precisou esforçar-se para aceitar sua própria ideia.

No final, ela sentiu que seria uma ótima oportunidade para deixar uma mensagem positiva. “Eu sabia em meu coração que isso era o que eu tinha que fazer”.

Já para Priscilla, a atitude da professora foi muito importante. “Ela estava muito animada. Sua confiança aumentou”.

Fonte: Porto Alegre 24h

DEIXE SEU COMENTÁRIO